Sair


Estas são as jornadas dos filhos de Israel, que saíram da terra do Egito, segundo os seus exércitos, sob a direção de Moisés e Arão – Números 33.1

Preste atenção que a palavra chave deste texto é SAIR. É muito importante que saiamos, mas devemos entender de onde saímos ou de que situação estamos desejando sair. Na maioria das vezes não temos consciência o bastante para sabermos aonde estávamos, e por esta razão não sabemos o porquê temos que sair. Israel saiu daqui, saiu dali, saiu de várias partes. Estavam sempre saindo de algum lugar.

Se desejamos avançar, necessitamos estar sempre saindo. Só descobriremos se estamos avançando quando verdadeiramente estivermos saindo. Saindo de onde? Saindo do formalismo religioso, saindo das quatro paredes, desse falso e enganoso carisma populista, que poderá nos levar do limbo para o inferno.

Queremos avançar, queremos conquistar, mas quando a ordem é sair, quem diz que queremos sair? Estamos sofrendo amassando o barro em Ramessés, mas não queremos abrir mão das comidas e da vida miserável de lá.

Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça, e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos – Números 11.5

Reclamavam dizendo que não havia nada para comer a não ser o maná. Este surto desejo de comer cebolas, alhos e outras iguarias era, na verdade, um fenômeno psicológico comum entre as pessoas. Eu acredito que algum dia eu e você já tivemos saudades dessas cebolas e isso é, na verdade, uma doença.

Mas o que é sentir saudade das cebolas Egípcias?

O Egito é o passado e as cebolas são as desculpas ou as transferências que se faz quando o futuro se faz presente, contra as nossas expectativas, ou vontades. Isso nada mais é do que nossa falta de senso de realidade, pois as cebolas no Egito são qualquer coisa que, no passado, foi horrível e hoje, por doença, torna-se para nós o que nunca foi, nem será: BOM. Infelizmente, nos dias atuais, muita gente está desprezando o maná celestial, trocando a liberdade que antes não tinha e desejando voltar a comer cebolas debaixo da escravidão do Egito. Estamos trocando o Maná de Deus pelas cebolas do Egito.

Sair do Egito significa sair de um sistema opressor, um sistema negativado do qual fazíamos parte outrora. Se ficarmos a pensar que tínhamos apenas alguns pecadinhos, então estamos longe de entendermos o que significa Ramessés, que de fato é estar debaixo de uma dura escravidão, liderada pelo faraó deste mundo exclusivista e egoísta.

Precisamos compreender bem que o verdadeiro diagnóstico da condição humana está em Adão, para que logremos realmente entender o pleno sentido do que significa sair.

E escreveu Moisés as suas saídas, segundo as suas jornadas, conforme ao mandado do Senhor, e estas são as suas jornadas, segundo as suas saídas – Números 33.2

Para que serve as jornadas? Para nos tirar! Tão intensamente não entendemos o porquê de tantas jornadas em nossas vidas, e por qual razão Deus permite que passemos por tudo isto. Israel teve quarenta e duas jornadas dentro de quarenta anos.

Quantas jornadas você tem enfrentado até agora? Quanto tempo você está no deserto desta vida? Tente refletir o quão calorosamente Deus te ama, por isso ele não tem permitido você enfrentar tantas jornadas.

Texto original extraído do Livro “A síndrome de Israel no deserto” (página 35).

book_sindrome_footer