Mudanças


Seja você a mudança que tanto quer ver nos outros…

Não podemos controlar as escolhas de ninguém: Comer demais, desvios sexuais, alcoolismo, dependência de drogas – ou qualquer outro comportamento destrutivo. As pessoas só mudam quando estão prontas para mudar. Não importa se elas estão prejudicando a si mesmas, e para ela não importa o que nós pensamos. Sofremos porque sabemos que se elas nos ouvissem e cooperassem conosco elas estariam em melhor situação.

É uma grande ilusão achar que podemos mudar ou controlar as pessoas. Quanto mais tentamos “dobra-las” mais elas repetem. Fazem o que acham que devem fazer, sentem o que acham que devem sentir, e muitas delas exigem e querem que financiemos seu comportamento. Acham que somos obrigados a fazer isso. E muitos de nós, especialmente pais, seguem cheios de culpa financiando comportamentos totalmente errados, e perguntando a si mesmo, onde eu errei ?

Num contexto assim a única pessoa que você pode ajudar a mudar é você mesmo. Só você pode decidir: “Não vou investir mais dinheiro, não vou fazer o jogo da culpa.”

Desligue-se, desista de controlar e de aceitar tal manipulação. Quando a pessoa toma esta decisão, muitas vezes acontece o que desejamos, como se fosse um milagre. Outras vezes, não acontece nada. E talvez, nunca haja uma mudança em quem queremos ver mudado. Mas você não tolerará mais abusos.Tome a decisão de cuidar de si mesmo e pare de querer controlar as pessoas.

Existe uma hora de soltar. Quando você tiver feito tudo ou mesmo que não tenha feito tudo (é quase impossível “fazer tudo”) e você está se vendo co-dependente deste problema, é hora de se desligar física, social, emocional e mentalmente.

Você seguirá orando, é claro, mas deixará mesmo nas mãos do Eterno.

Afinal, Deus nos ensina assim no capítulo 15 de Lucas, no “Capítulo dos Perdidos”. A ovelha, a dracma e o filho. A ovelha se perdeu por desorientação, e o pastor vai procurá-la, a dracma foi perdida por displicência, e a dona vai procurá-la, mas o filho se perdeu por escolha própria, e o pai o deixa ir.

Precipitação, imaturidade ou irresponsabilidade, não entraremos no mérito da questão. O fato é que o filho escolheu comer com os porcos, o pai o abençoou e ele foi. Claro que quando voltou arrependido, o pai o recebeu e cuidou muito dele, mas o deixou ir.

Deixe os outros livres para assumirem o preço e as consequências de suas escolhas. Afinal, Deus faz isso conosco.

Ninguém tem a capacidade de mudar ninguém, este trabalho pertence ao Espírito Santo, então permita que Ele atue da melhor forma, deixe Ele fazer o que sempre faz, e assim você terá descanso e paz na alma. Não assuma um trabalho que não é seu. Precisamos orientar sim,  prestarmos consultoria , sermos mentores da existência, agirmos como conselheiros para a vida, mas mudar as pessoas é um trabalho do Espírito Santo.

Foi assim que você foi transformado, foi assim que você nasceu de novo.

Graça e Paz a todos!

Pr André D’alves